Embaixadas europeias #United4Climate

No âmbito da Semana da Diplomacia Climática Europeia, no dia 21 de Junho, o Senhor Embaixador Govert Bijl de Vroe e a Senhora Conselheira Christianne Bleijenbergh vão participar num passeio de bicicleta junto ao Rio Tejo em Belém. Em conjunto, Embaixadas europeias irão assinalar o trabalho que a União Europeia está a fazer colectivamente para alcançar os objectivos do Acordo de Paris e enfrentar as alterações climáticas.
O evento conta com o apoio do Ministério do Ambiente, da Câmara Municipal de Lisboa e da EMEL-Empresa de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa.

A fim de se evitarem consequências catastróficas e em defesa da vida no planeta, é urgente alcançarmos os objectivos do Acordo de Paris através de acção conjunta. Acção climática faz parte de uma transição para uma economia limpa, com baixas emissões e uma sociedade resiliente. Esta transição tem múltiplos benefícios facilmente alcançáveis, tais como o reforço da economia, a melhoria do sistema de saúde pública e do ecossistema e a prevenção dos efeitos negativos das alterações climáticas na segurança de pessoas e estados.

A UE está empenhada na acção climática e tem um forte historial na redução das emissões nacionais e no apoio a terceiros. De facto, a UE está a caminho de ultrapassar o objectivo para 2020: em 2016, as emissões foram 23% inferiores aos valores de 1990. A UE, os seus Estados-Membros e o Banco Europeu de Investimento continuam a ser o maior provedor de financiamento público para o clima, tendo contribuído em 2016 com 20,2 mil milhões de euros para países em vias de desenvolvimento. É cerca de metade do total do financiamento público para o clima.

A UE continuará a trabalhar em conjunto com todos os parceiros para reforçar a acção climática interna e globalmente. Para responder eficazmente ao desafio do clima, é importante o trabalho em conjunto. Por esse motivo a UE já pôs em prática um enquadramento jurídico transversal e vinculativo para cumprimento do seu compromisso de reduzir as emissões pelo menos em 40% até 2030, em comparação com os valores de 1990. Simultaneamente, a UE está a reforçar a cooperação internacional e o apoio a parceiros de fora da UE através de um envolvimento diplomático conjunto na acção climática.

Políticas climáticas ambiciosas podem ir a par com crescimento económico, criação de emprego, maior segurança alimentar e energética e sistema de saúde pública e do ecossistema melhorado. A redução das emissões na UE em 23% e o crescimento do PIB de 53% entre 1990 e 2016 demonstram que é possível alcançar uma dissociação completa de emissões e crescimento económico. A chave está no tempo que demorarmos: quanto mais cedo se agir, menores serão os custos e maiores os beneficios. Se não tomarmos medidas suficientes haverá elevados custos desnecessários para as pessoas e para o planeta.

Para mais informações sobre a Semana da Diplomacia Climática Europeia: https://www.climate-diplomacy.org/events/climate-diplomacy-week-2018

European Climate Diplomacy Week 2018